Quer comprar um carro seminovo? Confira as dicas para fazer um bom negócio

Lançamentos
Typography

Em tempos de crise, precisar trocar de carro pode ser uma dor de cabeça. Comprar um seminovo, muitas vezes, é mais acessível, tanto que o mercado de usados já cresceu 14% no primeiro semestre em todo o país. Porém, é importante prestar atenção na documentação, multas, impostos, taxas e outros detalhes que fazem a diferença entre um bom negócio e uma furada. Por isso, a PROTESTE, maior Associação de Consumidores da América Latina, preparou uma lista com dicas a fim de facilitar a vida do consumidor:

·         Entre no site do Detran: Com os dados da placa e do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) em mãos, o consumidor deve fazer uma pesquisa de Débitos e Restrições. Lá, é possível encontrar informações sobre pagamento de imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), multas, inspeção veicular, licenciamento do ano, bloqueio por furto, registro de guincho e restrições.

·         Consulte o veículo no site do Ministério da Justiça: É possível que o automóvel tenha um recall pendente com a montadora. Se esse for o caso, exija o documento que comprove a execução do reparo indicado ou consulte o serviço de atendimento ao consumidor com os dados do chassi e Renavam do veículo para verificar se há um recall pendente.

·         Cuidado com o golpe de venda casada: Se pretende negociar o seu veículo atual como parte do pagamento do novo, preste atenção, pois algumas lojas exigem que se faça um check-up ou vistoria cautelar e para tanto, cobram do consumidor este serviço, o que é ilegal! Depois que você pagar, o mesmo será subavaliado. Dessa forma, as duas opções restantes não são boas porque ou será obrigado a cancelar o negócio, e perder esse valor ou, dar continuidade e receber um valor menor pelo veículo. O ideal é você dar preferência para estabelecimentos isentos desta cobrança.

·         Conheça o vendedor: Se for comprar o carro diretamente com o dono, você não estará protegido pelo Código de Defesa do Consumidor. Só feche negócio se o preço compensar e se realmente conhecer o dono. Caso contrário, exija o Laudo Cautelar do veículo, um documento homologado pelo Detran, que atestará todo o histórico do carro e apontará além dos débitos pendentes, qualquer informação como sinistro, registro de roubo ou furto, boletim de ocorrência por envolvimento em acidentes e até passagem por oficinas de seguradoras, o que pode indicar uma batida ou danos no passado.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS
e-max.it: your social media marketing partner